Browse Category

Família

Alta PerformanceEmpreendedoraEmpreendedorismoFamíliaSem categoria

Uma característica que todo empreendedor precisa ter!

posted by Andréa Aguiar Maio 16, 2016 0 comments

Se você pudesse escolher 1 qualidade que todo empreendedor precisa ter ou desenvolver, qual seria?
Eu estava pensando sobre isso, porque a gente tem tanta ideia, tanta criatividade, tanta vontade de fazer algo com a nossa cara, mas nem sempre a gente consegue tirar essa ideia do papel, quiçá da nossa cabeça, né!

Empreender, de uma maneira bem geral, é a vontade de dar vida a um negócio, e viabilizá-lo. Então, qual é essa coisinha que faz você ir além? Que faz a gente ir de um ponto “x” para um ponto “y” na vida?
Minhas últimas experiências me levaram a crer que essa ‘coisinha’ é a tantas vezes é ignorada, e não valorizada pelos criativos, que é a DISCIPLINA!

Sim, senhor!

Disciplina.

Aquilo que os colégios, nossos pais, passaram a vida tentando nos ensinar, mas que muitas vezes não conseguiram pela maneira que eles nos impõem a disciplina como obrigação, e não como ferramenta fundamental para realização de qualquer plano, de qualquer sonho. E como tudo que é obrigação passa a ser chato, nós “criativos”, passamos a renegar.

Pois bem, eu tive que aprender errando. Eu precisei perder o timming das ideias porque não tive disciplina para dar vida a elas, para internalizar a necessidade de implementá-la na minha vida diária.
Afinal de contas, é muito papel que a gente precisa exercer: empresária, empreendedora, administradora, marketeira, e ainda, sermos mãe, filha, dona de casa, estudante, namorada, esposa, enfim. É muito papel pra uma empreendedora só. O bom é que empreendendo, não existe vida profissional e vida pessoal, afinal de contas, tudo é VIDA. Vamos nos disciplinar para colocar nossos sonhos em prática!

Disciplina, chegue cá que eu não te largo mais.

EmpreendedoraEmpresáriaFamíliaLifestylePropósitoSem categoria

Brasil x Empreendedorismo 

posted by Andréa Aguiar Novembro 19, 2015 0 comments

“Brasileiro não sabe empreender, brasileiro não é ensinado a empreender. Universidades, as melhores do Brasil, como USP, Unicamp, não ensinam o aluno a empreender. Para o brasileiro, concurso público, fazer carreira em grandes empresas, é o singnificado de sucesso.”

Rosana Fernandes, CEO da Baita. Ela mesma uma ex-executiva de uma grande indústria, que abandonou a carreira para tornar-se mentora de uma startup nos idos de 1980(!), e hoje está à frente da Baita, aceleradora de startups, onde trabalha para mudar a realidade do Brasil e do mundo. 

É a fraca! #jávireifã
Vamos mudar o Brasil, galera?! 

 

FamíliaLifestyleMãePropósito

Sobre a vida, e o que realmente importa

posted by Andréa Aguiar Setembro 8, 2015 0 comments

Ontem eu estava lendo um livro, cansada, sem atenção, depois de um dia intenso de atividades estilo feriadão: praia, sol e mar. Com meus dois filhotes. Ou seja, muita energia, minha gente! Ui! O dia tinha sido uma delícia, mas às 19h30, a sensação era de que eu não conseguiria chegar ao dia seguinte, parecia que um caminhão tinha passado por cima de mim, e a minha cabeça já estava criando listas mentais de atividades de trabalho para o pós-feriado.

Era um misto de cansaço e desespero por não conseguir relaxar, e com um agradecimento enorme pelos meus filhos. Agradecimento por ter presenciado, nesses dois dias, tantas risadas, sentido tantos abraços e beijos, ver meu filho mais novo tomar caldinho de peixe com areia (é, isso mesmo! Uma loucura!), se jogar nas ondas do mar como se não houvesse perigo algum, ver meu filho mais velho correndo e dançando, aquela dancinha desconexa que só ele sabe fazer. E eu estava lá, presente!

Há um tempo, eu parei pra pensar no que realmente importa na minha vida, o que deve nortear todas as minhas ações e escolhas. Podia ser segurança, conforto, estabilidade, tranquilidade, um sem fim de coisas. Mas, eu decidi que, sobretudo, eu quero ser livre.

A liberdade é meu norte. É o que me faz parar, – quando estou em dúvida de que escolha fazer, que caminho seguir –, e me fazer a seguinte pergunta: “se eu fizer essa escolha, eu ainda serei livre?”

Há dois anos, eu tomei uma decisão doída, cheia de insegurança, e sai da minha zona de conforto, dentro de um emprego fixo, mas que tomava muitas das minhas noites, finais de semana ‘E’ feriados. Hoje, é essa decisão que me possibilita estar presente no dia a dia dos meus filhos, ficar morta de cansada com eles, descobrir qual é o design que eu quero fazer, o tipo de cliente que eu quero ter, o bairro ou o lugar onde eu quero trabalhar. Afinal de contas, o que realmente importa nessa vida?