Browse Category

Alta Performance

Alta PerformanceEmpreendedoraEmpreendedorismoFamíliaSem categoria

Uma característica que todo empreendedor precisa ter!

posted by Andréa Aguiar Maio 16, 2016 0 comments

Se você pudesse escolher 1 qualidade que todo empreendedor precisa ter ou desenvolver, qual seria?
Eu estava pensando sobre isso, porque a gente tem tanta ideia, tanta criatividade, tanta vontade de fazer algo com a nossa cara, mas nem sempre a gente consegue tirar essa ideia do papel, quiçá da nossa cabeça, né!

Empreender, de uma maneira bem geral, é a vontade de dar vida a um negócio, e viabilizá-lo. Então, qual é essa coisinha que faz você ir além? Que faz a gente ir de um ponto “x” para um ponto “y” na vida?
Minhas últimas experiências me levaram a crer que essa ‘coisinha’ é a tantas vezes é ignorada, e não valorizada pelos criativos, que é a DISCIPLINA!

Sim, senhor!

Disciplina.

Aquilo que os colégios, nossos pais, passaram a vida tentando nos ensinar, mas que muitas vezes não conseguiram pela maneira que eles nos impõem a disciplina como obrigação, e não como ferramenta fundamental para realização de qualquer plano, de qualquer sonho. E como tudo que é obrigação passa a ser chato, nós “criativos”, passamos a renegar.

Pois bem, eu tive que aprender errando. Eu precisei perder o timming das ideias porque não tive disciplina para dar vida a elas, para internalizar a necessidade de implementá-la na minha vida diária.
Afinal de contas, é muito papel que a gente precisa exercer: empresária, empreendedora, administradora, marketeira, e ainda, sermos mãe, filha, dona de casa, estudante, namorada, esposa, enfim. É muito papel pra uma empreendedora só. O bom é que empreendendo, não existe vida profissional e vida pessoal, afinal de contas, tudo é VIDA. Vamos nos disciplinar para colocar nossos sonhos em prática!

Disciplina, chegue cá que eu não te largo mais.

Alta PerformanceEmpreendedoraLifestylePropósito

Empreendedorismo é um estilo de vida.

posted by Andréa Aguiar Agosto 13, 2015 0 comments

Empreender e ser. Inseparáveis. Quanto mais eu trabalho, mais eu vejo, mais eu sinto. Não li em nenhum livro. Ainda. Certamente não li o suficiente. Mas o que eu venho sentindo nesses meses, quando eu realmente me comprometi a ser a empresária do meu capital humano (depois explico isso melhor), e que consegui realmente vestir a camisa da empreendedora que sempre morou em mim, é que: empreender é um caminho que nos leva a trilhar pelos aspectos mais remotos da nossa personalidade.

Além de todos os desafios tangíveis: ter clientes, ter quem compre seu produto/ serviço, ser sustentável, manter a qualidade no serviço prestado ou no produto ofertado, etc etc etc… Vejo que um grande – senão o maior desafio – é controlar a emoção.

Não responder aos gatilhos instantâneos da nossa personalidade, para conseguir permanecer no caminho planejado, é fundamental.

Como seguir em frente se você tá morrendo de medo? Como seguir em frente se o cliente não pagou? Como seguir em frente se você tá achando que não vai dar conta de tudo?

Cada um sabe onde seu calo aperta. Cada um sabe da delícia e da dor de sair da zona de conforto. Empreender é sempre se forçar a sair da zona de conforto. Esqueça largar do trabalho, e não pensar mais nele. Esqueça fechar um mês super produtivo e rentável, comemorar e dormir. Empreender é estar sempre pensando no próximo passo. É estar sempre um passo a frente, na verdade. Não dá pra viver apagando incêndio, nem pensando no operacional. Nunca na minha vida, as palavras planejamento e estratégia fizeram tanto sentido.

Hoje, eu sinto como se tivesse ligado um catalizador que estava trabalhando em stand-by durante anos. Hoje, diariamente, eu procuro observar como tudo reverbera em mim. Sinto, analiso, respiro. Evito, se for o caso. Potencializo, se for o caso. Estudo onde aperta, estudo como reagiria instintivamente, penso, repenso, reflito. Nunca na vida, analisei tanto o meu ego. Antes, eu achava que aquele primeiro pensamento que aparecia na minha mente, era meu instinto querendo me ajudar. Hoje, já vejo que pode ser meu ego querendo me afundar.

Precisamos aprender a identificar os sinais. Controlá-los. Usá-los ao nosso favor. E não o contrário.

Se isso pareceu transcendental demais para você. Creia. Não é. Essa é a realidade que a gente cria. Eu quero criar a minha. E ela é cheia de amor e de trabalho. Não de reclamação ou vitimização.

Força na peruca, e sigamos em frente! Avante!