Sem categoria

colocar título aqui #16

posted by Andréa Aguiar Agosto 13, 2015 0 comments

18488_408277239354475_5822923202233602914_n

A gente escolhe trabalhar por conta própria, empreender, abrir nosso negócio, ou seja lá qual for o termo que usem para definir trabalhar com com o que a gente gosta, do jeito que a gente gosta, porque a gente ama, né!? Porque ali, em todos os produtos, em todos os projetos têm um pouco de nós, ou muito, de nós. Isso é massa!

Mas aí, como tudo se ama, a gente se apega. Nos apegamos à maneira como criamos, nos apegamos à maneira como vendemos, nos apegamos à maneira como nos apresentamos, nos apegamos, nos apegamos, nos apegamos… E como crescer, se tudo depende de nós, porque tudo tem que ter a nossa cara, o nosso estilo?

Há uma semana rolou o evento da Winspiration (rede de mulheres empreendedoras, que já falei por aqui), o assunto era “xô, crise!”: como lidar com essa tão alardeada super mega crise econômica que dizem que o Brasil está vivendo.

“Que dizem” porque tudo é questionável, não é? Quem tem mais de 30 anos já passou por quantas super crises? De fazer estoque de leite em casa, porque de um dia para o outro os preços dos produtos eram inflacionados em 100%, 1000%(?!). De ver os pais desesperados porque, da noite para o dia, o Governo decidiu confiscar a poupança suada de toda uma vida. De não dar tempo nem de decorar o nome do dinheiro em circulação, porque logo menos, mudava tudo?! Cruzeiro, cruzado, cruzado novo, URV, gente?! Mas, ok, estamos em crise. Aí você para e pensa: se a crise existe, como aproveitá-la?

As agências de publicidade, não cansam de alardear: “esse é o ano da comunicação”. “As empresas têm que investir em marketing para sobreviver à crise”. Cada um que puxe a sardinha pro seu lado. Isso não é uma crítica, hein. Muito pelo contrário, é ver oportunidade onde os outros enxergam problema. Isso é pra lá de uma qualidade.

Como vocês podem imaginar, foi um assunto que puxou outro. O bom é que cada uma enriquece a discussão analisando o tema soba a sua ótica, suas vivências… Aí, uma companheira que estava ao meu lado, que por erro meu, não sei o nome. Fala de “apego”. Pelo que entendi, ela trabalha numa organização que dá algum tipo de consultoria a empreendedores. E no depoimento dela, ela falou que muitas vezes, os empreendedores estão tão envolvidos com seu negócio que não conseguem crescer por apego. Eles, simplesmente, não conseguem delegar, ou saber a hora de mudar, ou de vender, etc.

Nessa hora, amigos, tocou uma campanhia na minha cabeça. Pêeeeeeennn! Sinal de alerta! É daqueles momentos que você tem um insight e passa a enxergar a situação de uma maneira que não via antes.

Eu penso em crescer, mas para crescer eu preciso aprender a delegar. Mas, eu gosto de ir a reuniões com clientes, gosto de criar o briefing, criar o projeto, implementar a criação nos materiais ou mídias necessárias, acompanhar a produção se for em gráfica, fazer meu controle de fluxo de caixa, passar orçamento,… Ah, e ainda quero dar o almoço dos meus filhos, levar o mais velho na escola, pegá-lo na escola, colocar o mais novo pra dormir às 18h, levar o mais velho na fono duas vezes por semana, malhar, fazer dieta, ser magra, bem cuidada, e assistir todas as séries do Netflix com o marido antes de dormir. Só!

Então, de um bate-papo que era sobre “crise”, a mensagem que bateu em mim foi desapega, menina!

Esse post não é patrocinado pelo OLX, mas “desapega, desapega” será meu mantra pelos próximos. Emoticon wink

Pra crescer, tem que confiar!

Você também vai gostar de ler...

Leave a Comment