Sem categoria

colocar título aqui #10

posted by Andréa Aguiar Agosto 13, 2015 0 comments

11147856_401715646677301_8663852026973301095_n

Quando eu decidi trabalhar por conta própria, a primeira decisão que eu tomei foi me formalizar. Não queria não ter nota, ser mais um profissional autônomo prestando serviços com CPF. Um CNPJ foi minha prioridade, porque acho que a informalidade leva, fatalmente, à precariedade.

Então, meu primeiro grande gasto foi contratar uma contadora para abrir e formalizar a MINHA EMPRESA. Olha que chique! kkkk

O Brasil te dá algumas opções: MEI (micro empreendedor individual), ME (micro empresa), .LTDA (sociedade limitada). Para saber onde se enquadra, é preciso saber qual o tipo de negócio/serviço que a empresa vai vender/prestar. Se tem sócios, ou não. Uma série de coisas. Depois, vem a carga tributária que a empresa vai se enquadrar, que também depende da natureza do produto/serviço comercializado.

Então, 2 anos atrás eu tomei essa decisão, foi das mais acertadas. Só a partir daí, você vira automaticamente duas pessoas: pessoa física e pessoa jurídica.

E aí, meu amigo, é onde reside o grande problema. Administrar, isso não é nada fácil. Ontem eu me reuni com minha contadora pra tentar melhorar a administração dessa bipolaridade. Levei uns puxões de orelha, ganhei alguns elogios. To me esforçando, gente!

Uma coisa ela me disse e vou levar sempre comigo. “Você tem que pensar ao mesmo tempo, como patrão e empregado”. Eu pago meu salário (pro-labore), meu INSS, meu imposto de renda, além de tooooodos os impostos envolvidos.

É fácil? Não. Mas é ma-ra-vi-lho-so ser dona dos meus, agora, dois narizes! kkkkkk

Você também vai gostar de ler...

Leave a Comment